quinta-feira, dezembro 25, 2008

Divagações da mente

Pior que os condutores de Domingo... só mesmo os condutores de Natal!!
Sério, não sei o que se passou com esta gente nesta quadra natalicia de 2008. Já se sabe que há sempre confusão por esta altura, mas este ano o povo enlouqueceu de vez! Só faltava pararem o carro no meio da rua para irem ás compras... pensando melhor, acho que nem isso faltou...

terça-feira, dezembro 23, 2008

Os antigos é que curtiam buééééé




Heroína da Bayer: Um frasco de heroína da Bayer. Entre 1890 a 1910 a heroína era divulgada como um substituto não viciante da morfina e remédio contra tosse para crianças.

Vinho de coca: O vinho de coca da Metcalf era um de uma grande quantidade de vinhos que continham coca disponíveis no mercado. Todos afirmavam que tinham efeitos medicinais, mas indubitavelmente eram consumidos pelo seu valor "recreador" também.

Vinho Mariani: O Vinho Mariani (1865) era o principal vinho de coca do seu tempo. O Papa Leão XIII carregava um frasco de Vinho Mariani consigo e premiou seu criador, Angelo Mariani, com uma medalha de ouro.





Maltine: Esse vinho de coca foi feito pela Maltine Manufacturing Company de Nova York . A dosagem indicada diz: "Uma taça cheia junto com, ou imediatamente após, as refeições. Crianças em proporção."


Peso de papel: Um peso de papel promocional da C.F. Boehringer & Soehne ( Mannheim , Alemanha), "os maiores fabricantes do mundo de quinino e cocaína". Este fabricante tinha orgulho em sua posição de líder no mercado de cocaína.


Glico-Heroína: Propaganda de heroína da Martin H. Smith Company, de Nova York . A heroína era amplamente usada não apenas como analgésico, mas também como remédio contra asma, tosse e pneumonia. Misturar heroína com glicerina (e comumente açúcar e temperos) tornava o opiáceo amargo mais palatável para a ingestão oral.



Ópio para asma: Esse National Vaporizer Vapor-OL era indicado " Para asma e outras afecções espasmódicas". O líquido volátil era colocado em uma panela e aquecido por um lampião de querosene.


Tablete de cocaína (1900): Estes tabletes de cocaína eram "indispensáveis para cantores, professores e oradores". Eles também aquietavam dor de garganta e davam um efeito "animador" para que estes profissionais atingissem o máximo de sua performance.



"Drops de Cocaína para Dor de Dente – Cura instantânea": Dropes de cocaína para dor de dente (1885) eram populares para crianças. Não apenas acabava com a dor, mas também melhorava o humor dos usuários.


Ópio para bebês recém-nascidos: Você acha que a nossa vida moderna é confortável? Antigamente para aquietar bebês recém-nascidos não era necessário um grande esforço dos pais, mas sim, ópio.. Esse frasco de paregórico (sedativo) da Stickney and Poor era uma mistura de ópio de álcool que era distribuída do mesmo modo que os temperos pelos quais a empresa era conhecida. "Dose – [ Para crianças com] cinco dias, 3 gotas. Duas semanas, 8 gotas. Cinco anos, 25 gotas. Adultos, uma colher cheia."O produto era muito potente e continha 46% de álcool.

quarta-feira, dezembro 17, 2008

Melodia do dia

segunda-feira, dezembro 15, 2008

Proposta da semana



sexta-feira, dezembro 12, 2008

Cartão Único

Cartão Único (CU)

Você, que está farto de ter que decorar números como CPF, RG, título de eleitor, cartão de crédito, senhas etc, vai ficar feliz com o projecto do Cartão Unico, promessa eleitoral de José Socrates nas Legislativas de 2005, no âmbito do programa de desburocrarização "Simplex".

Este projeto visa acabar com a burocracia de uma vez por todas, dando a cada indivíduo português um Cartão Unico (CU).
Veja só como o CU será importante na sua vida. No começo, você usará o CU apenas para necessidades básicas, mas com o tempo poderá ver as inúmeras utilidades que o CU proporciona. Ao requerer um empréstimo, por exemplo, é só mostrar o seu CU que logo, logo, através de uma simples consulta, a Central CU estará disponibilizado um montante compatível com o seu CU. Quando você fizer uma compra, é só falar para o atendente:"Põe no meu CU, por favor", e suas compras estarão pagas.
O seu CU servirá também como identificador. Caso você esteja perdido, ou com amnésia, basta dar o seu CU para as autoridades e facilmente eles o identificarão. Além disso, o seu CU serve também para a causa da segurança, pois um bandido saberá que poderá ser facilmente reconhecido pelo seu CU, que será inutilizado por um período de tempo previsto em lei. Isso intimidará o larápio, pois, afinal, quem tem CU tem medo.
Mas tudo isso tem um preço. Já imaginou quanta coisa não teria que ser guardada no CU?
Todos os dados que você tem, por exemplo, serão armazenados no seu CU.
Por isso mesmo, seriam contratados os maiores técnicos em inserção de dados do mundo: para que tudo que entrar no seu CU entre de forma rápida e discreta.
Agora chegou o momento de você se perguntar: "Será que eu estou pronto para usar o meu CU?".

Hmmmm... então isto quer dizer, que se eu agora me dirigir à loja do cidadão, alguém de lá me vai dar o CU?!

quarta-feira, dezembro 10, 2008

Musicoli do dia..

terça-feira, dezembro 09, 2008

sexta-feira, dezembro 05, 2008

TVI censura agressões ao Lider do PNR em plena entrevista

Reportagem da TVI sobre imigração, racismo e discriminação

A TVI transmitiu ontem uma reportagem da autoria da jornalista Elisabete Barata com o título "Português Suave". O programa tinha como tema a imigração e começou com uma associação entre esta e a criminalidade. Excertos de aberturas de telejornal, imagens de bairros de imigrantes, e tiroteio da Quinta da Fonte. Nada de novo, portanto. Entretanto alguns minutos, poucos, para falar em nacionalistas. Falou em, e com, Mário Machado e recordou o recente processo de Monsanto, em que houve condenados por escrever, aproveitando para meter pelo meio uns gritos e ambulâncias. Adequado para os objectivos da reportagem, menos de informação e mais de desinformação, ou formação politicamente (in)correcta.

Um pequeno exemplo: Elisabete Barata entrevistou José Pinto-Coelho, presidente do PNR, no Martim Moniz em Lisboa. A meio da entrevista, um bando de imigrantes começou a proferir ameaças, atirando pedras e garrafas de cerveja. Entrevistado, jornalista, e repórter de imagem tiveram de abandonar o local apressadamente. Quando o repórter solicitou a ajuda de um carro da PSP que por ali passava recebeu como resposta que «não tinham tempo». Ficou tudo registado na fita da TVI, mas não houve coragem de o mostrar. Era necessário proteger a imagem do imigrante, discriminado, perseguido. E o episódio deu-se precisamente junto à Freguesia do Socorro, em que os imigrantes são cerca de 90% dos residentes, uma realidade que a reportagem também não mencionou. Assim se vai branqueando a tal realidade, cada vez mais difícil para muitos portugueses que têm de viver no dia-a-dia sentindo todos os «benefícios» que a reportagem, e outros entrevistados, tentaram transmitir ao longo de quase meia-hora. Talvez por isso nos nossos canais de televisão nunca tenha havido um único debate em directo, sobre este tema, com um representante não politicamente correcto ou sem os «comissários» do costume. E por falar em «comissários», Rosário Farmhouse do ACIDI, também entrevistada, tratou os imigrantes como mercadoria dizendo que «dão lucro», o que até nem é verdade, mas «esqueceu-se» de mencionar os 73 milhões de euros que a sua organização governamental vai receber do Orçamento de Estado para apoiar os imigrantes e mais de uma centena de associações racistas e discriminatórias, para com os portugueses. E, assim, lá assistimos a mais do mesmo.

fonte: www.pnr.pt

quarta-feira, dezembro 03, 2008

Cheiro Line...

O que é para ti a definição de coragem?

Saltar de pára-quedas?

Apagar fogos?

Pegar um Touro?

Nadar num rio com crocodilos?

Podem dizer o que quiserem mas...vejam a foto abaixo.
Conseguem igualar?